domingo, 15 de julho de 2012

Alerta sobre a banalização de remédios tarja preta por crianças e adolescentes



...Quando não mais interessa educar e se dedicar à família, parece que fica mais fácil medicar...

...Quando não mais interessa educar e se dedicar à família, parece que fica mais fácil medicar...


Entender que os tempos mudaram e que a constelação familiar não é mais a mesma, ok! Mas lagar às traças?!!!
Outro dia ouvi de uma amiga professora que a maioria de seus alunos são filhos de pais separados e que esta crianças são cuidadas por avós, quando estas se propõem a cuidar dos filhos dos filhos. As avós também estão diferentes... Querem viver a vida que no século passado não foi permitido por questões culturais.

Parece que quem perde neste momento são as crianças que não tem mais quem as eduque, quem as construa. Não tem quem as ensine o que é certo e errado, bom e mau...
Humanos não são como outros animais que em poucos dias saem andando. Pesquisa sobre o desenvolvimento humano, reconhece que só estamos fisicamente prontos por volta dos 2 anos de idade. Como não daria para nos carregar na barriga, nascemos antes a fim de que alguém ajude no resto da construção.
No reino animal "irracional", os pais ensinam seus filhotes a buscar sua própria sobrevivência e só então se afastam. ...



domingo, 8 de maio de 2011

Deus é coisa da sua cabeça

 

Refletindo o tema…

Que maravilhoso ver a ciência comprovando a espiritualidade humana sem a necessidade de provar ou não a existência de Deus! As funções humanas de auto-preservação e auto transcendência  nos revelam espirituais. O filosofo contemporâneo Andre Comte-sponville de forma magistral discorre sobre o tema em seu livro O espírito do ateísmo.
Não importa qual religião simpatizamos, e não é correto entender um ateu sem espiritualidade. Conheço ateus mais espiritualizados do que alguns crentes, dramatizado muito bem no filme “Deus é brasileiro”. Importante é entender a auto-preservação e auto-transcendência, ideia que espiritualiza todos os seres humanos e de quebra poderia acabar com as guerras santas…
Acreditar ou não na existência de um Deus é apenas um detalhe  face ao reconhecimento da espiritualidade.  A palavra religião tem origem no latim e seu significado é religar-se – ligar em si.  Redimir-se, palavra que os religiosos usam costumeiramente, também com origem no latim significa metanóia – mudar de ideia. ...

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Cientistas descobrem área do cérebro relacionada com o constrangimento

Minhas reflexões…
Descobertas são muito interessantes, principalmente porque “tiram a coberta” de algo existente a priori. Dai podemos tratar doenças degenerativas e ajudar a sociedade encontrar o equilíbrio entre os extremos, no caso em questão, entre a inibição paralisadora e a desinibição exacerbada.
Respeito e responsabilidade por ações deveriam ser ensinados - mas não são... Refletir, criticar e modificar pensamentos, sentimentos e comportamentos que impedem o bem viver e que nos tornam livres, deveriam ser ensinados - mas também não são… Isto não acontece! Já parou para pensar por quê?!! Não interessa ensinar estas virtudes pois teríamos uma população pensante e não manipulável!
Erroneamente o “BEM VIVER” resumiu-se em “pense e faça tudo o que te dá prazer sem nunca considerar teu semelhante”. 

quarta-feira, 9 de março de 2011

Crer ou não crer eis a questão

Li, ouvi e refleti durante anos sobre as questões das crenças. Entendi que os seres humanos vivem com base no que acreditam, e ai mora o perigo! Pode levar ao sucesso ou ao fracasso, à cura ou à doenças.
Tudo que se crê torna-se concreto, pois o comportamento – baseado em pensamentos/crenças - levam a situações e resultados que as confirmam. As crenças dão segurança, mas também limitam.
Sociedade, cultura, grupos moldam o pensamento/sentimento e como consequência, o comportamento. Internalizamos os conceitos ensinados pelos “responsáveis” em construir/moldar inicialmente nossa personalidade. Responsáveis não significa que sabem toda a verdade ou que estão totalmente certos.
A teoria da identidade social

segunda-feira, 7 de março de 2011

Universo feminino ainda é mistério - Jornal Repórter Diário

 

Refletindo o texto e a vida prática…

…Normalmente a palavra mistério é usada em situações que ainda não compreendemos ou que a ciência não comprovou. Parece que em relação às mulheres isto é verdadeiro, apesar de várias ciências provarem e comprovarem as diferenças entre os sexos.

Ter poder a qualquer custo é diferente de sair da submissão.

As diferenças não são compreendidas nem aceitas pelas próprias mulheres! Buscam igualdades físicas e comportamentais afim de tentar solucionar um problema cultural muito antigo. Ainda o sexo predominante é o masculino! Creio que as mulheres apenas acumularam funções e deixaram de viver bem. Muitas doenças, como por exemplo a fibromialgia e aumento de infartos do miocárdio, apresentam sintomas onde a causa é emocional. O comportamento pode ser igual ao masculino, mas a forma como sentem a vida continua feminina.

A primeira mulher a assumir o cargo político de maior responsabilidade do Brasil, pediu que se referissem a ela como presidenta. Uma ação não modifica uma ideia…

Será que as mulheres necessitam de igualdade ou aceitar-se tal como são, com as peculiares do sexo em que nasceram? Assim como aceitam (ou deveriam aceitar) as alterações hormonais e os resultados que estas promovem.

Será que a família e o mundo não perderam com essa falsa igualdade?

Preço alto a pagar para ser igual sem entender a diferença!

Paradoxal…

por Marly Molina

Leia o texto na íntegra…

Fonte: Jornal Repórter Diário

Universo feminino ainda é mistério - Jornal Repórter Diário

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Dormir para reforçar a memória

“Reforçar uma lembrança enquanto se dorme pode ser mais eficaz do que quando se está acordado, revela um estudo realizado por universidades alemãs e suíças e publicado na revista “Nature”.


Uma equipa de investigadores, liderada por Björn Rasch, treinou a memória de vários voluntários que colaboraram neste estudo e aprenderam a relacionar um cheiro com a localização de um objecto, de forma a que quando sentissem determinado aroma se lembrassem imediatamente de onde este estava. 
Após esta ligação ter sido estabelecida, o reforço da memória foi feito em alguns participantes enquanto dormiam e noutros nos momentos em que estavam acordados, através da libertação do cheiro que correspondia ao artigo que tinham de saber onde se localizava.

Com esta experiência, os investigadores verificaram que  as pessoas cuja memória foi reforçada durante o sono lembravam-se com mais precisão da localização do objecto. Já a lembrança dos participantes submetidos a testes enquanto estavam despertos tinha perdido intensidade e era mais fraca do que a do grupo anterior. 
Para se certificarem destes resultados, os cientistas realizaram ressonâncias magnéticas aos participantes do estudo e demonstraram que as partes do cérebro activadas enquanto recorriam à memória eram diferentes, dependendo do momento em que esta tinha sido estimulada.
Segundo os cientistas, este estudo pode ter implicações clínicas na área das neurociências para o tratamento de vários problemas, como o stress pós-traumático.

Figure 2: Brain activity associated with odor-induced memory reactivation during wakefulness and sleep.”     (Atividade cerebral associada com odor – reativação da memória induzida durante a vigília e o sono)

Brain activity associated with odor-induced memory reactivation during wakefulness and sleep.

(a) During wakefulness, brain activity during 30-s odor-on periods in the reactivation condition (that is, odor during learning and during the wake retention interval) was increased in the lateral prefrontal cortex (PFC) as compared with the no-reactivation condition (odor only during the retention interval). (b) During SWS, odor presentation strongly activated the left anterior hippocampus only when it was previously paired with the learning material. (c) During SWS, the retrosplenial cortex also showed stronger activation in the reactivation than in the no-reactivation condition. Coronal and sagittal sections are shown, thresholded at P < 0.001 uncorrected, superimposed on a T1-template image. (df) Parameter estimates of the peak voxel in the lateral PFC, left hippocampus and retrosplenial cortex for all four experimental conditions. Values are mean ± s.e.m. P values, significant interactions for 'sleep-wake' × 'reactivation–no reactivation'.

Leia o artigo na íntegra…

Fonte:

Nature Neuroscience

CiênciaHoje

Hipnose beneficia o sistema imunológico



FONTE: www.naturalnews.com Tradução: www.sbhh.org.br
“…Uma pesquisa realizada na Universidade Estadual de Washington, em Pullman, E.U.A., descobriu que a hipnose reforça dois diferentes tipos de células do sistema imunológico que combatem as doenças. …
…Os resultados mostraram que os participantes que receberam a hipnose apresentaram um aumento importante em dois tipos de células brancas do sangue. Aqueles que eram altamente hipnotizáveis e receberam hipnose apresentaram o maior aumento de células brancas. Isso mostra que a hipnose pode ajudar as pessoas a aumentar sua contagem de células brancas do sangue e, assim, incrementar o seu sistema imunológico, permitindo um melhor combate às doenças (Ruzyla-Smith).
Pesquisadores da
Universidade Estadual de Ohio determinaram que a hipnoterapia pode impedir o enfraquecimento do sistema imunológico devido ao estresse.
… Quando a hipnose é induzida ...